Babosa para queimadura: como utilizar?

O uso de babosa para queimadura, especialmente aquelas causadas pelo excesso de exposição solar, é feito há vários séculos. Na prática, seu uso data dos tempos da Grécia Antiga, em torno de seis séculos antes da era comum. No período, houve uma intensificação da migração da planta da África para outras zonas de clima temperado, e seu uso na sociedade grega foi extremamente popular.

Não à toa, vários séculos depois, a planta foi uma das soluções médicas mais prescritas no planeta, e hoje é um dos ingredientes mais populares nas indústrias cosméticas e farmacêuticas. Nos dias atuais, o uso da babosa para queimadura continua sendo extremamente comum por um motivo simples: funciona e gera alívio imediato.

É necessário considerar, no entanto, que a babosa não é utilizada para qualquer tipo de queimadura, e entender como ela funciona é essencial para evitar o uso inadequada da planta. Confira mais sobre o assunto, e entenda os motivos pelos quais a planta é tão popular há tantos séculos:

Para quais tipos de queimadura a planta é recomendada?

Queimaduras na pele podem ser causadas por uma série de fatores distintos: a exposição solar, o calor, a eletricidade, a radiação e até mesmo a fricção de certos materiais. Além da causa, é necessário considerar a severidade da queimadura.

A soma destes dois fatores faz com que seja possível determinar qual o melhor tratamento para o caso em questão. Em geral, o uso de babosa para queimadura é associado a situações com baixa gravidade, pois seus efeitos ocorrem nas camadas mais superficiais da pele. Os dois tipos de queimadura mais associados ao tratamento com aloe vera são:

  • Queimaduras leves de primeiro grau

Uma queimadura de primeiro grau é aquela em que aquele fica vermelha e levemente inchada, com dores moderadas. É o tipo caso de encostar a mão em uma panela quente e tirar rapidamente, em que as queimaduras são essencialmente superficiais.

Nestes casos, o uso de babosa é um excelente tratamento: ela hidrata a pele, auxilia a minimizar eventuais cicatrizes da lesão e, ainda, auxilia gera uma sensação de alívio no local afetado.

  • Queimaduras por exposição solar

Infelizmente, a maior parte das pessoas ainda sofre com queimaduras solares com uma certa frequência, seja por uma caminhada descuidada no sol ou pela negligência de rejeitar o protetor solar quando está na rua.

O uso de babosa para queimadura do sol é extremamente eficiente, pois reduz as inflamações, hidrata o local, reduz a sensação de dor e ainda acelera a recuperação da pele. Não à toa, a maior parte dos cremes chamados “pós-sol” utilizam o ingrediente como uma de suas bases.

Como a babosa auxilia no tratamento de queimaduras?

O uso de babosa para queimadura é baseado em uma soma de benefício. Em primeiro lugar, é capaz de aliviar as dores causadas pela queimadura. Além disso, suas enzimas são capazes de reduzir inflamações e aumentar o fluxo sanguíneo em tecidos afetados.

Dessa forma, o uso da planta reduz os riscos de infecção e acelera a formação de novas células epiteliais, acelerando o processo de cura, consequentemente. Outro benefício importante é o fato de a hidratação promovida no local reduzir os riscos de cicatrizes e danos permanentes posteriores à cura.

Como aplicar aloe vera nas queimaduras?

Existem várias maneiras de aplicar o extrato da planta no local da queimadura. Se você for à farmácia mais próxima agora, provavelmente encontrará cremes, loções, sprays e pomadas que utilizam aloe vera como seu ingrediente principal.

Todas elas vêm com instruções que bastam ser seguidas. Uma boa dica, no entanto, é ter seu próprio pé de babosa em casa: é uma planta barata e fácil de ser cuidada, e garante que você saiba exatamente o que está aplicando em sua pele.

Se você seguir a dica, basta cortar uma das folhas compridas e abri-la ao meio com uma faca. Então, aplique o gel em seu interior sobre a pele machucada, aproveitando o máximo possível de líquido. Deixe secar e agir por alguns minutos antes de enxaguar. Se você preferir, também pode deixar o produto secar e não enxaguar em seguida, pois os casos de alergia a babosa são muito raros.

 

Comments are closed